Lá e cá sem graça

Uma moça bonita, acostumada que chamasse a atenção, entrou num ônibus prateado, apresentou uma língua de papel com um monte de letras pontilhadas, uma carteirinha verde com uma foto ainda mais escabrosa que o papel em si e pôde seguir a diante. Uma veia pulava no pescoço branquelo. Se, por um lado, o seu cachorro…